Comer na escola   Leave a comment

“Muitas escolas oferecem um serviço de refeitório. Para muitos pais este serviço é muito prático, porque trabalham e não têm tempo para levar as crianças à escola, trazê-las para casa e dar-lhes de comer. Além disso, algumas famílias enviam as suas crianças ao refeitório para que aprendam a comer.

Onde se prepara a comida?


Nos refeitórios escolares trabalham o pessoal de cozinha, e os monitores do refeitório. Dependendo das escolas, a comida elabora-se no próprio centro, por cozinheiros especializados, ou fora, por empresas de catering. Os menus preparam-se na própria escola ou são elaborados pela empresa contratada. Em qualquer caso, as escolas oferecem sempre alimentos de qualidade, e encarregam-se de elaborar menus com o nível nutricional adequado.

O menu do refeitório escolar deve proporcionar entre 30 e 35% das necessidades energéticas diárias. Além disso, o menu deve ajustar-se às necessidades de micro nutrientes essenciais.

A DIETA ESCOLAR

A estrutura de uma dieta convencional é composta por:
1º prato: batatas, legumes, massas, arroz, verduras ou sopas.
2º prato: carnes, peixes ou ovos, acompanhados de guarnição: saladas, batatas ou um molho.
3º prato: fruta da época. Como se trata de crianças, este prato pode ser complementado com um produto lácteo: leite, queijo, iogurte, leite coalhado, flan, natas, gelado… Algumas crianças não toleram bem a fruta de sobremesa, que lhes produz gases e mau estar estomacal.
Os doces são um dos alimentos que mais agradam às crianças, e nos refeitórios escolares devem moderar o seu consumo, bem como o consumo de sal e ovos. É muito importante que as crianças sigam uma dieta correcta.

Por este motivo os refeitórios escolares costumam fornecer aos pais o menu da semana. Desta forma evitam-se as repetições durante os fins-de-semana ou as refeições.

A alimentação da criança em idade escolar deve cobrir as suas necessidades energéticas para conseguir que o seu crescimento e o seu desenvolvimento sejam normais. Também se devem evitar as carências e o desequilíbrio entre os diferentes nutrientes.

As vitaminas não podem faltar na dieta infantil!


– A vitamina A é uma das mais necessárias. Encontra-se em produtos animais como a gema de ovo ou a manteiga.

– As vitaminas B e C estão habitualmente presentes quando a alimentação é variada, e é difícil encontrar carências destas vitaminas no nosso país. A não ser nos casos em que as crianças sigam dietas caprichosas e monótonas!

Também é muito importante nestas idades que a aportação de cálcio seja a adequada. Esta substância intervém directamente no desenvolvimento do esqueleto. Também não devemos esquecer a aportação diária de ferro, que é essencial!
Além das aportações nutricionais, no refeitório escolar aprendem-se muitas coisas. O refeitório pode e deve ser um entorno em que dia a dia as crianças adquiram melhores hábitos alimentares. Desta forma compreenderão as normas para uma boa alimentação durante toda a vida.

OUTRAS ACTIVIDADES


Depois de comer, as crianças podem desenvolver uma grande variedade de actividades lúdicas: teatro, cerâmica, ludoteca, jogos ao ar livre… E para os mais pequenos, os monitores encarregar-se-ão de que durmam a sesta… porque também a necessitam!”

Posted Outubro 8, 2010 by infantilidade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: