Caprichosos com a comida   Leave a comment

“A primeira pergunta que devemos fazer sobre uma criança sem apetite ou caprichosa com a comida é… Nasce-se ou faz-se?
A resposta mais lógica a esta questão é que raramente temos manias inatas em relação a qualquer alimento ou grupo de alimentos, pelo que o mais provável é que as manias da criança com as comidas procedam da atitude das pessoas do seu círculo mais próximo.
Quando uma criança cospe algum alimento ou se nega a comê-lo pensamos que é porque não lhe agrada, ou que é alérgica a ele, quando por vezes nunca o provou. A reacção dos pais perante esta situação é fundamental, uma vez que se permitem esta rejeição, podem estar a criar um precedente para que a criança evite comer outros pratos ou alimentos que não lhe agradem, ou que lhes ganhe aversão.
De qualquer modo seria importante distinguir entre as crianças inapetentes e as que são caprichosas à hora de comer. Ambas têm as mesmas condutas, mas perante uma criança caprichosa com a comida teríamos que analisar a sua conduta, pois pode querer apenas chamar a tenção dos seus pais, ou pode estar a atravessar uma etapa difícil. Geralmente existem dois factores fundamentais para que a criança desenvolva manias em relação a algumas comidas:

– Por instinto natural para com as coisas novas, tanto pela sua cor como pelo seu sabor ou aspecto.
– Porque aprende a usar a comida como “arma” comunicativa com os pais.

 

Muitas vezes a criança sabe que ao rejeitar algum alimento os pais serão mais atentos ou lhe darão algo para que coma a refeição.
É importante ter em conta que a alimentação na etapa infantil é decisiva devido às diferentes necessidades do organismo nesta fase do crescimento: crescimento de todos os seus órgãos, grande actividade física, momento adequado para a formação de hábitos e de condutas.

CONSEQUÊNCIAS

Por este motivo, o facto de que uma criança seja caprichosa com a comida ou não tenha apetite pode ter consequências tanto no âmbito nutricional como psicológico, e fazer com que:

– A criança apresente deficiências vitamínicas.
– O seu desenvolvimento ou crescimento seja muito lento.
– Que não aproveitem os nutrientes.
– Que se tornem teimosas.
– Que causem problemas quando comem fora de casa.
– Que tenham problemas nas relações sociais da sua etapa adolescente.

COMO ACTUAR FRENTE A ESTA CONDUTA?

É positivo ensinar as crianças a comer. Existem uma série de pautas que é conveniente seguir com todas as crianças:

– Fazê-las repousar antes das refeições porque a fadiga e a excitação dos jogos pode distrai-las.

– Acostumá-las a um horário fixo para as refeições.

 

No entanto, e tendo em conta as crianças sem apetite ou caprichosas, à hora da refeição teremos que as estimular de formas algo diferentes.

 

CONSELHOS PARA LIDAR COM OS FILHOS SEM APETITE:

– É conveniente que levem uma vida activa e, se possível, é bom que joguem ao ar livre.
– Colocar no seu prato apenas a comida de que necessitem. Á medida que o seu apetite vá crescendo, serão elas próprias a pedir mais, e se não o fazem, devemos ir incrementando a quantidade.
– Não complementar a falta de comida com alimentos doces ou “pesados”, antes fruta ou uma sanduíche.
– Além de fomentar o facto de que comam em família, pelo menos uma vez por dia, também é bom que exista uma grande variedade de pratos que a criança possa provar e comer.
– Para evitar que se cansem de um alimento, se este for do seu agrado, podemos tentar cozinhá-lo de diversas formas.
– É importante variar de alimentos e tentar dar-lhes novamente algo que possam ter rejeitado em algum momento, mas que, depois de algum tempo, lhes goste e lhes apeteça comer. Não esqueçamos que as crianças variam muito os seus gostos.

CONSELHOS PARA LIDAR COM AS CRIANÇAS CAPRICHOSAS:

– Fazer com que a hora da comida seja um momento de reunião, para falar e divertir-se.
– Evitar que comam logo que chegam da escola, pois podem estar cansadas e isso poderá torná-las caprichosas com a comida.
– Se não querem comer o que se lhes coloca no prato, não devemos insistir, porque continuariam com a mesma história.
– Cozinhar com imaginação infantil para os “enganar”.

– Convidando um amigo conseguiremos que comam estupendamente, mas não devemos abusar louvando a conduta do seu amigo, apenas pretender que o tomem como exemplo.

Neste caso, a atitude dos pais também é determinante. Se os pais são muito restritos com a criança podem provocar que esta ganhe aversão a mais comidas, e se pelo contrário são demasiado permissivos, conseguirão o mesmo efeito. Os problemas com a comida na etapa da infância são muito comuns, mas não devem converter-se num obstáculo, nem devemos permitir que a criança vença a sua. O mais importante é estabelecer o que a criança deve comer, e mantermo-nos firmes apesar dos seus caprichos, evitando lutas pela comida, uma vez que afinal de contas é a criança quem vai decidir se come ou não.”

 

Posted Outubro 8, 2010 by infantilidade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: